Fernando A Freire

Amar a dois sobre todas as coisas

Textos

HÁ SEMPRE UMA NOVA ESTAÇÃO

 
O tempo mudo a tudo muda.
Muda modos, muda medos,
muda enredos, segredos,
muda o mundo com precisão,
estação a estação.

Barco e mundo:

proa, popa, bombordo, boreste
ou boroeste.
Nova posição a cada vez,
a cada mês,
a cada trimestre.


Nova ancoragem,
coragem, reanimação,
Aprontam os remos pra outros rumos.
Renovo de remação.


Mares bravios, maiores desafios...
Corre-corres decorrentes.
Correntes de ar,
correntes ao mar,
corrente no peito carente de amar,
de ancorar...


Constelação orienta:
remar pro Oriente.
Aí,

tempestade intempestiva,
navegantes ofegantes,
i
ncidentes, acidentes...
milagres insuficientes.

Mudam o rumo,
muda o tempo.
Só por um momento,

mar sereno.
Todavia,
barco à deriva.


Dessossego,
segue o barco a correnteza,
sob sopros da Natureza.

Ânsia, desesperança, desencanto... 

Sol levante, descanso,
bonança, aliviamento,

Brando vento de feição,
Tesas velas reassumem a direção.

Num repente:
"Avante, navegantes,

Terra à vista no Ocidente".
Estação primaveril permanente...
 
Desembarque, curta duração:
alegria, emoção, salvação,

gratidão...
Grato gozo de férias
em plena Primavera.


Flores pros amores de marinheiros.
Efêmeros e passageiros amores,
que se findam a cada hora que passa.
Sentimento de "nunca mais",
amantes se abraçam no cáis.

 
Arriscado retorno à velha barcaça.
Mesma tripulação, horrendos temores,
hesitante animação.
Tal como inconstantes amores,
Incertos desafios inda terão,
. . .
mas, só os sobreviventes

Verão...
_____________________________________________________
Para o texto: "Sortilégio da alegria", em que a poetisa Zuleika dos Reis deseja uma Feliz Primavera" a todos os recantistas  -  em 24/09/2015.
_____________________________________________________
Fernando A Freire
Enviado por Fernando A Freire em 25/09/2015
Alterado em 25/09/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar: Autoria de Fernando A Freire - www.fernandoafreire.net) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras