Fernando A Freire

Amar a dois sobre todas as coisas

Textos

NO VENTRE DA NOITE, UM NOVO DIA

É como se dois amantes se entrelaçassem
no plano horizontal de um pequeno planeta:
seus únicos moradores.

Na escuridão, mãos acariciam montes macios.
A alvura descoberta é o tecido areolar do outro.
O desejo de um é o corpo e a alma do outro.

O arfar: as batidas ouvidas no coração do outro.
O prazer sentido, justo o núcleo celular do outro.
Oxigênio se hidratando no seu par hidrogenado.

Enfim, desvendados, veem-se na mesma nudez,
beleza egressa da mais pura castidade,
mutuamente tocada pelo ansiado natural desejo.

Juntam-se, então, em santidade, os dois polos
geradores duma energia nascente, incandescente:
o polo que provoca e o que consente.

Nessa junção, faz-se a luz, como se faz o amor:
energia provinda de um choque sanguíneo,
do semear masculino no fértil terreno femíneo.

É assim que as partes íntimas da noite, em orgasmo,
acolhem o raio perpendicular de um novo dia,
cujo acme é a ejaculação do belo na poesia.
Fernando A Freire
Enviado por Fernando A Freire em 19/04/2017
Alterado em 19/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar: autoria de Fernando A Freire - www.fernandoafreire.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras