Fernando A Freire

Amar a dois sobre todas as coisas

Textos


PÁTRIA ARMADA, IDOLATRADA,
SALVE, SALVE ! . . .


"Eu não quero orações...   Eu não quero condolências...   Eu quero controle de armas"...

07/novembro/2018  -  O mau exemplo vem de longe como sinal de alerta para todos nós.  É esse o depoimento desesperado de uma mãe norte-americana, cujo filho foi alvejado por um atirador que, aleatoriamente, dispara contra pessoas que se divertiam num ambiente sadio e muito frequentado de sua cidade.

12/novembro/2018  -  No Brasil, o ex-prefeito de Baraúna (PB),  a 218 km de João Pessoa (PB), atira e mata o seu próprio filho - também ex-prefeito - por engano.  
Uma panela no fogão da casa de Adilson (pai) provocou um princípio de incêndio, enquanto ele dormia.  O filho, que passava na rua, com a intenção de debelar as chamas e salvar o pai (que não o escutava), decidiu arrebentar a porta da casa.  O barulho despertou o sr. Adilson, que, assustado, disparou contra o filho, pensando tratar-se de um assalto.

01/janeiro/2019  -  Assume o comando do Brasil um governo nazi-miliciano, que propõe a solução irracional de, para reduzir o número crescente de assassinatos, armar a todos os cidadãos do país.  Seu decreto, considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal, depois de sofrer maliciosas alterações através de Medidas Provisórias, poderá restringir o uso de armas de fogo apenas para os grandes proprietários de terra.  O esperado.  O planejado.  Os não proprietários, que nasceram no campo, vivem no campo e sobrevivem do que plantam e às vezes colhem no campo,  entre os quais os chamados "sem-terra",  viraram os alvos dos que detêm o latifúndio e, tem mais, com amplo respaldo desse governo armamentista: 
"Poderão, inclusive seus jagunços, atirar em qualquer camponês que passar por suas terras, ficando, o proprietário e/ou o atirador, isento de qualquer punição".  
Uma concessão do poder de vida ou morte aos exigentes latifundiários.  Como se não bastasse, em defesa de sua tese assassina, esse mesmo governo, em seus levianos pronunciamentos, já classificou os pequenos camponeses - os "sem-terra" - de "terroristas".
Uma provocação à mão armada contra quem só pode se defender com estilingues, arcos e flechas. O uso das espingardas, mesmo as de pequenas caças, ficou proibido.

Analisemos:
 
Hitler é considerado historicamente responsável pelo extermínio de mais de seis milhões de judeus, ciganos, comunistas, deficientes físicos, e mais aqueles que não eram do seu agrado.  Em seu livro "Minha luta" ele se defende, alegando que, pela seleção da raça, prestara um grande serviço a Deus.

Deixo duas perguntas no ar:

- Se, doravante, em solo agrário brasileiro, não serão mais culpados os algozes atiradores, quem será, na verdade, o principal responsável pelo extermínio dos índios, dos pequenos camponeses e dos "sem-terra", todos "terroristas", nascidos e criados na região campestre de nosso país ? ? ? ...

- Retirando o bigode, temos mesmo, novamente indicado por "deus" e com resguardo pentecostal, um Hitler mais astuto e mais moderno na face da Terra   ? ? ? . . .      ? ? ? . . .       ? ? ? . . .      ? ? ? . . .
Fernando A Freire
Enviado por Fernando A Freire em 26/10/2019
Alterado em 31/10/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras