Fernando A Freire

Amar a dois sobre todas as coisas

Textos


COMO EVITAR UMA CONVULSÃO SOCIAL NO BRASIL?


Os sem terra, sem emprego, sem armas e sem nada,
já foram, no governo que aí está, apelidados de "TERRORISTAS".  E continuam sendo.  Pior é que  "deus" concorda, conforme me disse um pobre fanático de uma seita fundamentalista. Fanáticos interpretam a bíblia (
que foi compilada pelos homens a partir do ano 311 depois de Cristo)   de acordo com a conveniência do seu mito fanatizador.
TERROrista é todo aquele que não tem TERRO, aliás, que não tem TERRA.  Se não tem terra, não pode ter arma de fogo, conforme decreto. Logo, no campo, há os armados (os proprietários de terra e seus asseclas) e os desarmados (o alvo ameaçado: os que nada têm).
No decreto de setembro/2019, ficou determinado que cada cidadão poderá possuir até quatro armas de fogo. No campo, armas de fogo à vontade e de qualquer calibre, não só para o proprietário da terra, mas para os seus feitores e matadores.
Indigna-me saber que o governo achou pouco o exagerado aumento de homicídios havidos nos últimos dezesseis meses. Ele quer mais homicídios, uma forma de resolver os problemas sociais do país até 2022.  Claro!  Calar e eliminar os pobres é uma forma muito prática de acabar com todos os problemas de saúde, educação, segurança, moradia e desemprego.
Para alcançar o seu objetivo sanguinário, achou por bem (
mudado o presidente da Câmara) formalizar novo decreto que aumenta para seis o número de armas que os demais  cidadãos queiram possuir.  Atenção!  Não há limite para a quantidade de munição, sinal de que, em breve, também não haverá limite para o número de armas de fogo em poder de qualquer "cidadão".
E é disso mesmo - armas e armas - que o país mais desigual do mundo precisa?!...
"É, sim!" - disse-me o mesmo fanático que tem explicação bíblica para as arbitrariedades de ´abençoados` (ou amaldiçoados) governos genocidas.  E continuou:
"O meu presidente tem que se prevenir para uma convulsão social no Brasil. Quem for gritar nas ruas se prepare pra levar bala!".
Agora entendi porque o auxílio emergencial vai sair somente para a metade dos miseráveis que se cadastraram no ano passado.  Operação pente fino (pente de pistola, pente de fuzil). A outra metade terá que sofrer em silêncio.  Se gritar, morre.  Se ficar - dormindo nas calçadas ou vagueando, com fome, pelas ruas ou pelos campos - também morre, baleado: por vagabundagem ou acusado de ser um terrorista invasor.  "Mais uma bala perdida!" - defender-se-ão os atiradores, seus irmãos pagos para ser sanguinários, assassinos mandatários.
Que "deus" é esse, que beneficia o latifundio e o agronegócio (concentradores de renda), os ricos especuladores (ganha-se mais na especulação do que na produção), os militares reformados (que ocupam as vagas dos desempregados), os milicianos e corjas de aduladores?!... e só sacrifica os pobres, os índios, os negros, os ciganos, os hetero, os sem-teto, os sem-terra, os sem esperança, os sem nada?!...
Um "deus" fake news made in Brazil.

.     .     .
Quantas histórias inventadas,
pontuadas de nada.
Quantas histórias verídicas,
ridículas, censuradas, adulteradas...

.     .     .
Fernando A Freire
Enviado por Fernando A Freire em 14/02/2021
Alterado em 17/02/2021


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras